Aranha Caranguejeira

Caranguejeira

Apesar dos 20 cm de comprimento, não tem o porquê de causar tamanho pavor, afinal são animais tímidos (que vivem escondidos), geralmente inofensivos e indispensáveis no equilíbrio da vida no planeta, pois, sendo um predador, controlam populações de diversos animais. As caranguejeiras são também conhecidas como tarântulas, nome popular que teve origem a partir de uma lenda italiana a qual as pessoas que eram picadas por estas aranhas teriam que dançar uma música, a tarantela, para sobreviverem ao veneno. No Brasil, as tarântulas são conhecidas como aranhas de jardim que são bem diferentes das caranguejeiras. As aranhas não são insetos! Apesar de possuírem exoesqueleto (esqueleto externo), possuem 4 pares de pernas e uma estrutura corporal dividida em duas partes: cefalotórax e abdome. Já os insetos possuem 3 pares de pernas e o corpo dividido em três partes: cabeça, tórax e abdome. Dentre os aracnídeos, as aranhas são as únicas que possuem fiandeiras, estruturas especializadas na fabricação de seda utilizada, de modo geral, na captura e imobilização das presas. Para auxiliar na imobilização das presas, as aranhas desenvolveram glândulas especializadas na produção de veneno e estruturas capazes de inoculá-lo. Nas caranguejeiras, este veneno só possui atividade em suas presas, sendo inativo no homem.

Caranguejeira

Caranguejeira

Os pêlos existentes nesta caranguejeira possuem ação urticante, sendo utilizados contra possíveis predadores, podendo causar uma reação alérgica no homem. Quando ameaçadas, raspam suas pernas no abdome liberando-os uma única vez. Estes pêlos não regeneram e só irão aparecer na próxima troca de pele (ecdise). A ecdise é um processo natural no crescimento destes animais. Neste período elas não caçam, permanecem escondidas, tornando-se menos ativas, pois a nova pele ainda é frágil e mais vulnerável a predação. As aranhas trocam de pele até atingir a maturidade sexual. Até esta fase, não é possível diferenciar macho e fêmea. No período reprodutivo, após o acasalamento as fêmeas envolvem seus ovos em seda (ooteca) e permanecem com ela até o nascimento dos filhotes. As caranguejeiras possuem hábitos noturnos alimentando-se de insetos, pequenos répteis, anfíbios e algumas espécies podem se alimentar de filhotes de pássaros. Vivem normalmente em tocas forradas com seda debaixo de pedras ou nas copas das árvores.

Caranguejeira

Dentre as caranguejeiras, as espécies amazônicas são extremamente atrativas sendo bastante apreciadas por algumas populações indígenas (tribo Piaroá) e consideradas um prato fino. Pelo fato de possuírem coloração vistosa e tamanho avantajado, são extremamente visadas pelo comércio ilegal. Além disso, a exploração acelerada do ambiente natural promovida pela ação humana ameaça ainda mais estes animais tão importantes e tão pouco estudados.

About these ads
Categorias: Artrópodes | Tags: , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com. O tema Adventure Journal.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: